Cross-docking: saiba o que é para otimizar sua logística


Redução de custos é mote em qualquer empresa. Ainda mais quando falamos de operações logísticas, as quais podem formar boa parte dos gastos de um negócio. Nesse cenário, o cross-docking pode ser uma saída viável para a organização ganhar agilidade e eficiência, reduzindo seus custos operacionais.

Neste artigo, mostramos o que é cross-docking, quais as suas vantagens e as melhores práticas para aplicá-lo na sua empresa e otimizar as operações de logística.

O que é cross-docking

Esse procedimento logístico é uma evolução no mercado e vem para atender a uma demanda de maior agilidade e menores custos operacionais.

Lançando mão do cross-docking, não é mais necessário armazenar diretamente o produto, pois a empresa só recebe o recebe mediante demanda do cliente.

Ao receber um determinado pedido, a empresa encaminha-o ao seu fornecedor. O produto já chega vendido à empresa, então não é necessário realizar o armazenamento. Tudo isso simplifica os processos internos.

Na chegada ao centro de distribuição da empresa, basta uma conferência na doca de entrada para verificar todos os produtos e posterior separação e despacho. Como o nome desse modelo logístico indica, os produtos apenas cruzam pelas docas do fornecedor e da empresa para seguirem para o seu destino.

Fluxo de funcionamento

De acordo com a maneira com que foi implementada a rotina de cross-docking, esse fluxo pode ser diferente, mas, basicamente, segue uma mesma lógica nas empresas:

  • o cliente entra em contato com a empresa e realiza o seu pedido;
  • depois que o pagamento é confirmado, a empresa realiza o pedido juntamente aos seus fornecedores;
  • os produtos chegam até o centro de distribuição da empresa, onde são verificados e separados de acordo com os pedidos — esse será o ponto crítico de todo o processo;
  • as cargas são fracionadas e enviadas de acordo com as rotas de entrega dos veículos da empresa.

Vantagens

Ao adotar essa metodologia de logística, a principal vantagem é a redução de custos de armazenamento e transporte. 

Podemos, ainda, citar mais alguns benefícios que são alcançados com a sua implantação.

1. Diminuição de riscos

Armazenar produtos e matéria-prima tem um determinado risco. O estoque é representado por um valor investido em ativos móveis, e caso um desastre ocorra — como um incêndio —, a empresa pode ter sérios prejuízos. Com menos produtos armazenados, os riscos de perdas diminuem significativamente.

2. Custos de estoque

Um dos maiores custos de toda a operação logística é o controle de estoque. Um controle de estoque eficiente demanda uma série de cuidados, implicando mais gastos. Com a redução do armazenamento, os custos com o estoque de produtos diminuem.

3. Redução do tempo

Outra grande vantagem do cross-docking é a diminuição no tempo para o processamento e entrega de um pedido, já que não será dada a entrada do produto para armazenamento e a posterior separação. Como um de seus pontos principais é a permanência mais curta possível dos produtos no centro de distribuição, a entrega é agilizada.

4. Rotatividade

Com a implementação do cross-docking, existe uma maior rotatividade do estoque e não há produtos parados gerando gastos de armazenamento e riscos de perdas. Isso aumenta a rentabilidade da empresa, já que os produtos comprados já estão vendidos.

5. Satisfação do cliente

Um processo que aumenta a rapidez com que os clientes recebem seus produtos tende a melhorar a relação do consumidor com a empresa, contribuindo para a sua satisfação geral com o serviço prestado.

Melhores práticas

O cross-docking pode ser muito vantajoso, mas é necessário observar uma série de boas práticas para se obter êxito em sua aplicação, pois trata-se de um sistema complexo de logística. Dentre os itens que exigem atenção, podemos citar:

1. Escolha um bom sistema de gestão

O controle da informação em tempo real é fundamental para que o processo de cross-docking possa funcionar adequadamente e sua empresa possa obter os resultados que espera. Isso pode ser alcançado com a utilização de um bom sistema de gestão.

2. Mantenha a comunicação

Como já dito, o ponto crítico é no processamento dos pedidos na chegada ao centro de distribuição. É essencial que exista uma boa comunicação entre os seus colaboradores para evitar qualquer falha nessa tarefa.

3. Prepare sua equipe

É preciso capacitar a equipe para lidar com um sistema logístico novo, ainda mais se estamos falando de uma nova visão como o cross-docking. O sucesso da implantação depende no nível de engajamento de todos.

4. Negocie com fornecedores

Um dos principais pontos para que o cross-docking venha a funcionar é a confiança existente entre sua empresa e seus fornecedores, afinal, quando você realiza um pedido, espera ser atendido o mais rápido possível, evitando atrasos na entrega ao cliente.

5. Esteja preparado para problemas

Mesmo aplicando todas as boas práticas aqui descritas e ainda tomando todos os cuidados possíveis, imprevistos podem acontecer a qualquer momento. Você deve ter um plano de ação para tentar manter a satisfação de seu cliente caso algo não funcione corretamente e a entrega não seja realizada no tempo estipulado.

Plataformas necessárias

Devido à complexidade do sistema de cross-docking, fica praticamente impossível de realizar a sua implementação sem contar com uma plataforma robusta que possa auxiliar o gestor a gerenciar todo o processo.

Existem soluções tecnológicas no mercado que possibilitam a integração dos diferentes estoques da sua empresa e permitem realizar cálculos de frete com precisão, o que é imprescindível para uma estratégia de cross-docking.

Dropshipping X Cross-docking

Seguindo a linha de novas implementações para operações de logística, além do cross-docking, temos o dropshipping. Esse modelo é utilizado por empresas que não querem manter um centro de distribuição próprio ou não contam com espaço para um estoque mínimo.

Nesse modelo de operação logística, a empresa recebe o pedido e o envia para o fornecedor, centro de distribuição ou empresa parceira que é responsável direta por realizar a entrega. Aqui, a empresa tem menor controle sobre o que acontece, ficando sob responsabilidade de outra companhia realizar o processo de distribuição.

Cross-docking e o omnichannel

A estratégia de cross-docking também pode ser utilizada dentro da própria empresa, configurado-sem como uma opção interessante para os negócios que trabalham com um leque muito grande de produtos, como farmácias.

Vamos supor uma loja que necessite de alguns itens que não constam em seu estoque. Por meio do cross-docking, ela pode fazer o pedido para outra filial a fim de atender seu cliente direto, de modo que todas usufruam de seus estoques mutuamente. Isso diminui a necessidade de espaço para armazenamento em cada uma das filiais e matriz.

Em suma, junto ao omnichannel, o cross-docking permite que uma empresa amplie o número de produtos comercializados, assim como a rotatividade deles, estimulando a competição entre seus vários canais de contato com o consumidor ao disponibilizar mais opções e melhores preços.

Como vimos, o cross-docking é um ótimo modelo a ser aplicado em suas operações logísticas com o intuito de diminuir seus custos e otimizar suas entregas. Implementá-lo, portanto, pode ser um grande diferencial.

Quer receber mais conteúdos interessantes como este diretamente em seu e-mail? Então, assine a nossa newsletter!

andrezza.vieira
About me

Deixe um comentário:

Seu email não será publicado.