Geolocalização para bancos: 5 maneiras de usá-la para atrair e fidelizar clientes


Uma das tecnologias mais úteis para instituições financeiras atualmente é a geolocalização. Com ela, é possível, por exemplo, enviar ofertas, informar a localização de agências, oferecer descontos, personalizar o atendimento e ainda cuidar da segurança atuando contra fraudes.

A inovação é útil, ainda, quando aliada à tecnologia Near Field Communication (NFC), que permite pagamentos pelo próprio smartphone (usando um aplicativo específico) sem a necessidade de usar o cartão.

Quer conhecer outras formas de uso da geolocalização para bancos? Acompanhe nosso post e descubra muito mais.

1. Localização

Pode parecer pouco tecnológico, mas oferecer informações sobre agências nas proximidades é muito útil para os clientes que estão em busca de uma filial do banco. Essa mesma funcionalidade pode permitir que o consumidor agende um horário com o gerente e até garantir que ele seja identificado quando chegar ao local.

A localização proporciona tanto relevância quanto contexto. Enquanto a primeira garante que o aplicativo seja útil, a segunda ajuda a oferecer seus serviços na hora certa — ou seja, quando eles são realmente necessários.

2. Ofertas

O uso dessa tecnologia permite que os bancos ofereçam serviços de valor agregado a seu público-alvo. Uma das formas de fazer isso é enviar ofertas relevantes para o cliente com base em sua localização.

Um estudo da Cisco mostra que 46% dos consumidores têm interesse em receber ofertas personalizadas em seus telefones. Além disso, o cliente digital está mais propenso a migrar para outro banco se suas necessidades não forem atingidas. É essencial, portanto, que os bancos busquem se diferenciar em todos os aspectos.

3. Segurança

A segurança é uma preocupação constante dos bancos. É comum, por exemplo, que eles validem algumas transações que parecem suspeitas ao sistema antes de liberá-las.

Com a geolocalização, a instituição pode oferecer uma camada extra de segurança sem a necessidade de confirmação em tempo real com o usuário (fazendo o cruzamento de informações de localização da loja e do celular do cliente, por exemplo).

Isso permite eliminar a necessidade de avisar a instituição financeira quando ele fizer uma viagem. E esse tipo de tecnologia é bastante pertinente em um momento em que os consumidores estão migrando progressivamente para os pagamentos móveis.

4. Crédito

Dados do cliente, principalmente referentes a seu comportamento como consumidor, podem ser cruciais na hora de oferecer linhas de crédito, por exemplo. Sabendo quais são os produtos preferidos do consumidor, bem como em quais momentos ele está mais propenso a comprar, o banco pode oferecer linhas de crédito no momento da tomada de decisão.

5. Personalização

Quando o cliente recebe um cupom de desconto para comprar um produto que estava pesquisando, a sensação é de vitória. O estabelecimento que faz a oferta também sai ganhando, já que as chances de que o consumidor adquira o produto são grandes.

Assim, o banco pode fazer essa intermediação: aproveitar um momento em que o cliente esteja passando perto da loja na qual ele pesquisou o produto para oferecer um cupom de desconto — como se o banco e a loja estivessem lendo seus pensamentos — para que ele faça a compra ali mesmo.

As possibilidades são muitas, e a criatividade é o limite. E você, já pensou em formas inovadoras de usar a tecnologia de geolocalização para bancos? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais para que mais pessoas também conheçam essas novas possibilidades.

andrezza.vieira
About me

Deixe um comentário:

Seu email não será publicado.